https://www.eurofinance.com/thank-you-request-a-call-back/ https://www.eurofinance.com/thank-you-download-brochure/

Treasury Management & Cash Flow Forecasting – Avançado

  • Lisboa, Portugal | 16,17,18 janeiro 2023 | €2.619+IVA
  • Overview
  • Agenda
  • Tutor
  • Prices
  • As técnicas mais avançadas usadas pelas tesourarias das empresas multinacionais a atuar no mercado.

    Este curso foi desenhado para tesoureiros, profissionais financeiros e do sector bancário que tenham experiência prática de pelo menos cinco anos em várias áreas, nomeadamente em gestão de tesouraria e que necessitem aprofundar o seu conhecimento prático das técnicas mais avançadas neste âmbito.

    Trata-se do curso mais avançado oferecido pela EuroFinance Internacional.

    intro
  • Objetivos de Aprendizagem

    • Explorar as técnicas implementadas pelas tesourarias das principais organizações globais;
    • Entender como a tesouraria pode contribuir para um melhor desempenho financeiro do negócio através de estruturas de contas eficientes, estratégias de cobertura eficazes e otimização do fundo de maneio;
    • Discutir estruturas alternativas de contas para otimizar a liquidez e os pagamentos;
    • Adquirir uma visão abrangente dos desafios atuais e futuros enfrentados pelos gerentes de tesouraria e pelos CFOs;
    • Entender os principais parâmetros que afetam o cash Flow;
    • Entender como a gestão adequada dos fluxos de caixa contribui para a criação de valor da empresa;
    • Desenvolver conhecimentos e competências práticas que possam ser aplicadas imediatamente no regresso ao local de trabalho.

    Learning objectives

Programa

  • 1º Dia Tesouraria Internacional e Liquidez down-arrow
    • 8.30am

      Receção dos assistentes

    • 9am

      Introdução

    • 9.15am

      A tesouraria corporativa da atualidade

      A evolução da gestão de tesouraria e de cash como funções críticas dentro da empresa
      • Gestão de risco em tesouraria
      • Financiamento do ciclo operacional
      • A importância da gestão de cash e liquidez
      • Tendências da tesouraria atual
      • Organização e diferentes estruturas
      • Gerindo tesouraria como um processo global
      • A mudança de papel do tesoureiro corporativo
      • Centralizando as funções de tesouraria
      • Modelos de tesouraria ativos e passivos

    • 10.15am

      Risco, financiamento e exposições

      Estratégias de gestão de risco em tesouraria
      • A política correta de tesouraria
      • Identificar as exposições e as estratégias para as gerir
      • As diferentes categorias de risco financeiro
      • Entender os instrumentos de cobertura e a mitigação de risco
      • Definir a estratégia de cobertura apropriada
      • Modelos de risco – VAR

    • 11am

      Business continuity plan

    • 11.15am

      Intervalo para café

    • 11.30am

      Financiamentos, yield curves, contabilização do fair value e otimização das escolhas de financiamento/investimento

      • Taxas de juro
      o Basis points
      o Convenções de contagem de dias
      o Convenções para datas de liquidação
      • Financiamentos em divisas (T+2), mercado local (T)
      • Financiamentos, Spot, Invest – Usando Swaps cambiais de divisas
      • Gerindo a yield curve
      • Taxas LIBOR futuras implícitas da yield curve
      • Fazer a correspondência entre a duração do financiamento e os fluxos de caixa associados
      • Impacto do Tenor sobre o custo dos fundos e retorno do investimento
      • IAS 39 e IFRS 9 – contabilização do Fair Value

    • 12.30pm

      Estruturas e centralização de tesouraria

      Quão centralizada pode ser uma tesouraria, hoje?
      • A função financeira
      • Níveis de responsabilidade das tesourarias – Os Elementos Core
      • Tesouraria descentralizada, regionalizada ou centralizada
      • Graus de centralização: centralização total, regional ou global?
      • In-house banking – Quais as vantagens e desvantagens?
      • Outsourcing de funções de tesouraria. Que funções devem ser elegíveis?
      • Estruturas típicas de tesouraria
      • Em que medida a sua organização está adaptada a este tipo de modelos?

    • 1pm

      Pausa para almoço

    • 2pm

      Otimizar a Gestão de Liquidez Global

      Criar visibilidade e mobilizar liquidez a nível global
      • Princípios da gestão de liquidez
      • Resumo do notional pooling vs target balancing
      • Documentação para o notional pooling
      • Compreender as regras transfronteiriças e o impacto no cash concentration
      • Estruturas de troca de moedas – otimização de juros
      • Oportunidades de melhorias de juros
      • Estruturas de concentração multi bancárias
      • Alavancar a liquidez
      • Estruturas híbridas combinando cash concentration e notional pooling
      • Criação de uma estrutura de liquidez global
      • Questões fiscais e legais na documentação
      • Geração de rendimento ativo ou passivo
      • Impacto da IAS 39 e dos acordos Basileia II/III
      • Escolher um veículo de tesouraria para a liquidez

    • 4pm

      Estudo de caso

      Entender os fluxos, riscos a métricas de tesouraria de uma empresa multinacional
      • Mapear fluxos, exposição cambial e exposições
      • Fluxos Inter Company, liquidez e impactos das relações bancárias
      • Métricas de tesouraria e prioridades

    • 4.30pm

      Intervalo para café

    • 4.45pm

      Intermediar fluxos e exposições de uma forma fiscal otimizada
      • Razões para o estabelecimento de centros de tesouraria
      • Quais as localizações mais adequadas
      • Implicações fiscais subjacentes a esses centros
      • Neutralidade fiscal ou vantagens fiscais
      • Impacto das novas regras da OECD (BEPS) nos centros de tesouraria

    • 5.15pm

      Tendências da gestão de tesouraria

      O que referem os responsáveis de tesouraria nas conferências da EuroFinance como principais preocupações para o ano seguinte.

    • 5.30pm

      Fim do 1º dia de curso

  • 2º Dia Gestão eficiente de pagamentos e responsabilidades down-arrow
    • 9am

      Working capital e fluxos comerciais

      Os princípios chave da gestão do working capital e a maximização da eficiência comercial de pagamentos e recebimentos

      • Ciclo de conversão de cash – CCC, DPO, DSO, DIO
      • Técnicas eficientes de gestão de cash
      • Financiamento do working capital e libertação do cash subutilizado
      • Custo médio ponderado de capital
      • Otimização de métricas financeiras – fora do balanço

    • 10am

      Intermediando os fluxos comerciais, fábricas de pagamentos e serviços partilhados

      Centros de serviços partilhados e fábricas de pagamentos – ferramentas para otimizar a tesouraria e manter o controlo
      • O business case para um centro de serviços partilhado
      • Benchmarking de processos em centros de serviços partilhados (ssc)
      • Centralização versus outsourcing
      • Benefícios de centralizar processos administrativos
      • Criar processos eficientes de contas a pagar
      • O papel do sistema erp nos fluxos comerciais
      • Usar cartões de crédito e cartões de compras para os processos de aquisição de viagens e para pagamento de despesas pessoais
      • Integração com sistemas e plataformas de aquisição

    • 10.45am

      Técnicas para gestão dos fluxos comerciais

      Novos desafios quando se regionalizam fluxos comerciais
      • O que pode ser atingido no erp?
      • Em substituição das cobranças e dos pagamentos (pobo/cobo)
      • In-house cash banking
      • Virtual accounts

    • 11.15am

      Intervalo para café

    • 11.30am

      Pagamentos domésticos

      Como se “move” o dinheiro no país?
      • Infraestrutura doméstica de clearing e conceitos chave
      • Alteração das infraestruturas de pagamentos
      • Pagamentos na zona euro e opções de clearing – a vida depois do sepa
      • Comparação de sistemas regionais – exemplos americanos / africanos / europeus e asiáticos
      • Métodos de pagamentos emergentes – pagamentos rápidos, móveis, Blockchain

    • 12pm

      Pagamentos internacionais

      Mover dinheiro eficientemente entre países, de modo a minimizar os custos associados e a perda de disponibilidade
      • Swift e movimento internacional de cash
      • Usar bancos intermediários ou bancos correspondentes
      • Os tipos de mensagens e quando são elas utilizadas
      • Implicações do ofac e aml
      • Cobrança de cheques em moeda estrangeira
      • Cartas de crédito e créditos documentários

    • 1pm

      Pausa para almoço

    • 2pm

      Estrutura de contas para fluxos comerciais e de tesouraria

      Princípios para a localização das contas – onde mantê-las e como geri-las?
      • “países fáceis” e países problemáticos” – analisando diferentes cenários
      • Integração de contas residentes e não residentes
      • Impacto do euro/sepa na estrutura de contas
      • Importância de estabelecer responsáveis corretos
      • Incorporar o netting, financiamento inter-company e liquidez centralizada
      • Abordagens às estruturas de gestão de liquidez regionais e globais
      • Estruturas de contas centralizadas ou descentralizadas
      • Ligação a um centro de tesouraria ou a um in-house bank
      • Integrando a concentração, notional pooling, pobo/robo, otimização de juros, aumento de juros e financiamento

    • 3pm

      Princípios do working capital gestão de caixa eficiente

      Working capital – o que é uma almofada de capital “suficiente”?
      • Ciclos de order to cash e purchase to pay
      • Tentando eliminar os ciclos de caixa
      • Automatização da reconciliação de recebimentos
      • Envio eletrónico de notas e pagamentos
      • Faturação eletrónica e gestão de disputas

    • 4pm

      Supply chain financing

      A nova face das soluções comerciais na sua cadeia de suprimentos
      • A cadeia de abastecimento financeiro
      • P&l versus gestão de balanço
      • Medidas de desempenho do working capital
      • Programas de financiamento de fornecedores
      • Obter financiamentos fora de balanço
      • Implicações contabilísticas do financiamento de recebimentos
      • Soluções eletrónicas e desenvolvimentos de tecnologia
      • Logística e documentação

    • 4.30pm

      Intervalo para café

    • 4.45pm

      Exercício – melhorar a liquidez ou o retorno de ativos

      Utilizar o financiamento para fornecer financiamento mais barato e / ou melhorar os rácios financeiros

    • 5.30pm

      Fim do 2º dia de curso

  • 3º dia Working capital, aplicações informáticas (sistemas) e relações bancárias down-arrow
    • 9am

      Construir dashboards de tesouraria usando a inteligência do negócio

      Como usar os mais recentes sistemas de business intelligence e tms
      • Componentes chave de reporting, kpis, kris e klis
      • Visualização de dados e gráficos
      • Incluir dados do erp, modelos de excel e serviços financeiros
      • Disponíveis em smartphone, tablet e pc
      • Plataformas de relatórios mais usadas

    • 10am

      Cash flow forecasting

      A precisão do cash forecasting é crítica para uma gestão eficiente de financiamentos

      Quando não conseguimos entender como podem as previsões de caixa serem corretamente utilizadas, então é bem provável que não se utilize a abordagem mais correta e apropriada na sua gestão.
      Diferentes tipos de empresas têm diferentes ciclos de geração de fluxos de caixa e diferentes formas de abordar a constituição de previsões.

      • Definição de cash flow
      • A forma de abordar as previsões de fluxos de caixa
      • A gestão de liquidez
      • Estabelecer políticas de gestão de fluxos de caixa
      • Identificar e evitar a escassez de fundos
      • Determinação das necessidades de financiamento
      • Planeamento do investimento de excessos de tesouraria
      • A criação de valor na gestão adequada dos fluxos de caixa

    • 11am

      Intervalo para café

    • 11.15am

      Recolha de dados com precisão

      Para a obtenção de dados precisos e constituição de previsões com integridade, é necessário recolher informação o mais pormenorizada e mais realista possível em toda a organização, desde vendas, compras, stocks, necessidades de tesouraria e até aspetos fiscais.

      • Recolha de dados precisos nos diferentes departamentos internos
      • Recolha de dados bancários precisos e oportunos
      • Ligação com os diferentes orçamentos da empresa e com a contabilidade
      • Efetuar a diferenciação entre os fluxos contabilísticos e os fluxos de caixa
      • Identificar as métricas que podemos controlar e destacá-las daquelas em que temos reduzida margem de ação
      • Identificar os principais desvios e os seus motivos
      • Introduzir medidas corretivas
      • Objetivos do cash forecasting
      • Longo, médio e curto prazo
      • Método direto versus método indireto
      • Modelos de cash forecasting (miller-orr, baumol)
      • Separação de contas a pagar e contas a receber
      • Ferramentas para forecasting

    • 1pm

      Pausa para almoço

    • 2pm

      Aproveitar um ERP para a tesouraria

      Integrar um sistema erp na tesouraria de hoje – os novos modelos de tesouraria e próximo nível de eficiência

      • Sistemas de tesouraria versus sistemas erp
      • Módulos de gestão de cash e de cash forecasting
      • Integração dos módulos in-house cash
      • O papel da tesouraria na definição de implementação de um erp
      • Implementação de um processo de reconciliação de recebimentos no erp
      • Alinhando o erp com a tesouraria
      • Implementação de um erp e novos modelos de negócio
      • Desafios da implementação
      • Plataformas tecnológicas para fábricas de pagamentos

    • 3pm

      Tecnologia de tesouraria

      Avaliar as funções críticas de um sistema de gestão de tesouraria

      • Funcionalidades de um sistema de tesouraria
      • Sistemas de fx trading baseados na web
      • Funcionalidade e compatibilidade dos sistemas de tesouraria com o erp
      • Seleção, implementação e integração de um sistema de gestão de tesouraria
      • Últimas tendências e melhorias

    • 3.30pm

      Sistemas bancários e swift para empresas

      Ligação bancária eletrónica e swift ao sistema de gestão de tesouraria da empresa
      • Canais típicos, propriedade dos bancos
      • Agregação multibancária
      • Acesso da empresa ao swift
      • Mensagens swift fileact e fin
      • Utilizar padrões próprios ou os disponíveis na indústria
      • Gerir as questões de documentação
      • Objetivos da integração de sistemas
      • Controle, contingências e segurança

    • 4pm

      Intervalo para café

    • 4.15

      Selecionar parceiros bancários

      Entender quais as melhores práticas quando escolhemos os parceiros bancários
      • Requisitos críticos para empresas multinacionais
      • Estratégias geográficas do banco
      • Bancos locais ou bancos regionais?
      • Suporte a bancos de crédito
      • Abordagens de preços e qualidade de serviço
      • Os bancos certos ou as soluções adequadas?

    • 5pm

      O processo de RFP Internacional

      Como construir a estruturação de um bom rfp ou um documento de consulta para obter a melhor proposta dos bancos?
      • Selecionar um banco e serviços
      • O documento de concurso – o que incluir?
      • Checklist do processo rfp – quais deverão ser as suas expetativas?
      • Elaboração de uma lista restrita e marcação de reuniões de negociação
      • Identificar e pré-qualificar bancos
      • Como estruturam os bancos as suas propostas
      • Como avaliar as respostas dos bancos – benchmarks, formatos
      • Selecionar bancos para os serviços de gestão de cash num país estrangeiro
      • Foco nos requisitos das empresas e no processo de seleção bancária
      • Impacto do crédito nas relações bancárias
      • Como apresentam os bancos soluções viáveis que os diferenciam dos restantes?

    • 5.30pm

      O que esperar do futuro?

      O que esperar no próximo ano e seguintes
      • Agenda política e questões para os tesoureiros
      • Novos produtos bancários
      • Principais desenvolvimentos das infraestruturas

    • 5.45

      Resumo da ação

      • Lessons learned
      • Entrega de certificados

Formador

João Luís F. Afonso

Treasury Manager, EuroFinance Tutor Vodafone Portugal

Atualmente, é responsável de tesouraria numa empresa de telecomunicações com sede em lisboa. Frequentou algumas ações de formação na área financeira nomeadamente: como melhorar a gestão de tesouraria, contabilidade de derivados financeiros, cash pooling doméstico e internacional, elaboração de orçamentos. adicionalmente, efetuou ações de formação em global project management, formação pedagógica inicial de formadores, os 3 pilares do sucesso profissional e pessoal: comunicar, persuadir e negociar, os efeitos da consolidação contabilística e fiscal, vender ideias, conquistar decisões, comunicação eficaz e negotiation dynamics. em complemento, tem participado como formador em diversas ações relacionadas com as áreas de contas a pagar, crédito e cobranças, custo de capital e gestão de tesouraria em Angola, Moçambique, Brasil e Portugal.

Licenciatura em gestão efetuada no instituto superior de contabilidade e administração de Lisboa. curso de criação e gestão de pequenas e médias empresas efetuado no instituto superior de administração e línguas da Madeira.

João Luís F. Afonso

Precio
€2.619+ 23% IVA